STJ veta desbloqueio de conta de doleiro

O presidente interino do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nilson Naves, suspendeu ontem (11) uma decisão judicial que permitia ao doleiro Juan Carlos Ramirez Villanueva desbloquear sua conta bancária e remeter para o exterior US$ 459,5 milhões (cerca de R$ 1 bilhão). Nilson Naves atendeu a um pedido do Banco Central (BC). Segundo a instituição o dinheiro é de origem criminosa e representaria evasão de divisas capaz de afetar a política cambial.No pedido encaminhado ao STJ, o BC argumentou que, se o dinheiro fosse desbloqueado da conta do doleiro no Banco Prosper e remetido para sua conta no mesmo banco no exterior, a possibilidade de recuperação seria mínima.O STJ informou que Juan Carlos Villanueva opera há muitos anos como doleiro em Foz do Iguaçu, no Paraná, e que começou a ser investigado pelo BC e pelo Ministério Público Federal em 1996.Ao examinar o recurso, o ministro Nilson Naves concluiu que a liberação do dinheiro "exibe potencial suficiente a causar grave e irreparável lesão à economia pública".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.