STJ revoga prisão de presidente do TJ do Espírito Santo

Frederico Guilherme Pimentel e outros dois desembargadores são acusados de venda de sentenças no Estado

Da Redação,

12 de dezembro de 2008 | 18h24

A ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) revogou nesta sexta-feira, 12, o decreto de prisão temporária do presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES, desembargador Frederico Guilherme Pimentel, e dos demais envolvidos no escândalo de venda de sentenças no Estado, presos pela Polícia Federal na Operação Naufrágio. Em nota, a ministra ressaltou que os investigados devem ficar à disposição do STJ para atender, sem embaraços, a chamados para prestar esclarecimentos adicionais no inquérito judicial em andamento. Veja também:TJ-ES afasta presidente acusado de venda de sentençasEscutas indicam venda de sentençaPF prende presidente do TJ do Espírito Santo e mais seis A ministra Laurita Vaz também determinou o envio de cópias dos autos em questão para o Conselho Nacional de Justiça e para o Tribunal de Justiça do Espírito Santo, para as providências administrativas que entenderem cabíveis.

Tudo o que sabemos sobre:
TJ-ESOperação Naufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.