Reuters e Estadão
Reuters e Estadão

STJ pede a Moro informações sobre prisão de executivos da Odebrecht e Andrade Gutierrez

Ministro que analisa pedido de habeas corpus solicitado pelas defesas das empresas pediu informações sobre a necessidade dos executivos continuarem presos; nova prisão da cúpula da Odebrecht anunciada nesta sexta, porém, pode esvaziar pedido de liberdade

BEATRIZ BULLA, O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2015 | 13h37

BRASÍLIA - O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Francisco Falcão, solicitou que o juiz Sérgio Moro, condutor da Operação Lava Jato na Justiça Federal no Paraná, preste informações sobre a prisão preventiva de executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez. Na prática, com a decisão, os presidentes das duas empreiteiras, Marcelo Odebrecht e Otávio de Azevedo, continuarão presos até que a 5ª Turma do STJ analise os pedidos de habeas corpus, na volta do recesso, em agosto.

Moro terá cinco dias para explicar a necessidade da continuidade das prisões em nove casos: de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar, Marcio Farias e Rogério Araújo (Odebrecht), João Antônio Bernardi Filho (ex-Odebrecht), de Otávio de Azevedo e Elton Negrão (Andrade Gutierrez), além do ex-deputado do PT André Vargas e do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

No fim da tarde de quarta-feira, 22, as defesas de Marcelo Odebrecht e dos executivos da Andrade Gutierrez entraram com pedido de habeas corpus no Tribunal. A Justiça Federal no Paraná, no entanto, decretou nesta sexta-feira, 24, nova prisão da cúpula da empreiteira Odebrecht, inclusive de seu presidente, Marcelo Odebrecht, o que pode esvaziar o pedido de habeas corpus já protocolado no STJ pelos executivos da empreiteira.

Pela decisão de Falcão, as informações remetidas por Curitiba serão encaminhadas à 5ª Turma do STJ, responsável por analisar os casos da Lava Jato na Corte. Também foi solicitado parecer do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A 5ª Turma do STJ, formada por cinco ministros, deverá decidir sobre os nove casos na volta do recesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.