STJ nega pedido de Arruda para permanecer em hospital

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Fernando Gonçalves negou ontem à noite o pedido da defesa do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), para que ele permanecesse no hospital ao menos pelos próximos dias, para se tratar de lesão coronariana constatada em exame realizado ontem. O ministro considerou que o documento médico anexado ao pedido da defesa de Arruda não indica a necessidade de imediata hospitalização.

ROSANA DE CASSIA, Agencia Estado

19 de março de 2010 | 09h15

Quanto ao pedido de prisão domiciliar e de liberdade provisória, o ministro determinou que o Ministério Público (MP) seja ouvido. Arruda passou o dia de ontem no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (IC-DF), onde foi submetido a um cateterismo e também a um ecocardiografia.

Arruda está preso na superintendência da Polícia Federal há pouco mais de um mês, acusado de tentar subornar uma testemunha do "mensalão do DEM", esquema de corrupção que seria chefiado por ele. Anteontem o Tribunal Regional Eleitoral cassou o mandato de Arruda por infidelidade partidária, mas ainda cabe recurso. Na Câmara Legislativa, ele é alvo de processo de impeachment.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.