STJ nega liminar para deputados do ES acusados de corrupção

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Nilson Naves, negou pedido de liminar para os deputados estaduais eleitos pelo Espírito Santo Gilson Antônio de Sales e Marcos Duarte Grazzani, acusados de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Na ação, o Ministério Público pediu ainda a prisão preventiva dos acusados. De acordo com a denúncia, os parlamentares capixabas teriam recebido R$ 30 mil cada do empresário Carlos Guilherme Lima, que teria utilizado dinheiro público para efetuar o pagamento, com o objetivo de garantir o sucesso da eleição do deputado federal José Carlos Gratz para a presidência da Assembléia Legislativa. Em seu despacho, o ministro Nilson Naves não encontrou motivos que justificassem o pedido de liminar e entendeu que, ao contrário do que alegou a defesa, não houve constrangimento ilegal por parte dos deputados. O ministro solicitou informações e determinou o envio do processo para o Ministério Público Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.