STJ nega liminar a acusados de quadrilha de grilagem no DF

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nilson Naves, negou pedido de liminar a cinco dos oito acusados de envolvimento em esquema de grilagem de terras, falsificação de documentos e lavagem de dinheiro no Distrito Federal (DF). Roberto Aparecido Peixoto da Silva, Maurício de Oliveira Pradera, Rogério Costa de Araújo Pereira , João Luiz Duarte de Abreu e Miryan Rodrigues Braz permanecerão presos. Eles foram acusados por formação de quadrilha, corrupção passiva, parcelamento irregular de solo urbano e lavagem de dinheiro e sob a acusação de pertencerem ao mesmo grupo criminoso, juntamente com o deputado distrital José Edmar (PMDB-DF).Naves indeferiu todos os pedidos de liminar nos habeas-corpus visando à imediata soltura dos acusados, determinando, em seguida, o envio do processo ao Ministério Público Federal, para que seja emitido parecer sobre o caso. O mérito do pedido será analisado pelo relator, ministro Felix Fischer, que o submeterá à apreciação da Quinta Turma do STJ.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.