Ed Ferreira/AE - 13/007/2005
Ed Ferreira/AE - 13/007/2005

STJ nega habeas para soltar Carlinhos Cachoeira

Contraventor está preso desde fevereiro, na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, acusado de liderar chefiar esquema de jogos de azar

estadão.com.br

12 de abril de 2012 | 12h45

Conforme divulgou com exclusividade a colunista Sonia Racy, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) negou habeas corpus para o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O pedido foi feito na segunda-feira pelo advogado do Márcio Thomaz Bastos.

O contraventor está preso desde fevereiro, na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Resultado da Operação Monte Carlo da PF que investiga esquema de exploração ilegal de jogos de azar no Estado de Goiás.

Nas escutas, políticos de pelo menos seis partidos são citados ou mesmo flagrados em conversas com suspeitos de participarem do grupo.

Ainda nesta quinta-feira, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), afirmou que está pronto o texto do requerimento para a realização da CPI do Cachoeira. Será uma CPI mista, com deputados e senadores, que vai apurar ligações do contraventor com o Congresso, Executivo e outros agentes.   

Segundo Maia, ficou decidido que o foco das investigações irá além do que foi apurado na operação Monte Carlo, cujas gravações recentemente divulgadas revelaram ligação de Cachoeira com o senador Demóstenes Torres (sem partigo-GO).

O deputado alerta que a CPI investigará também fatos identificados na operação Vegas. Ambas foram realizadas pela Polícia Federal. A operação Vegas apurou que Cachoeira pretendia operar no Brasil cassinos montados em barcos.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Carlinhos CachoeiraSTJhabeas corpus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.