STJ liberta sem-terra presos no Paraná

Por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que julgou favoravelmente umhabeas-corpus, líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) que estavam presos sob acusação de furto e formação de quadrilha noParaná foram libertados e as ações criminais contra eles extintas. A decisão favoreceu os líderes Elemar Nascimento Cezimbra,Francisco de Assis Moretti, Pedro Bernardo dos Santos e outros seis integrantes do movimento.Eles tinham sido denunciados pelo Ministério Público do Paraná por liderarem mais de 500 pessoas na invasão de uma áreapertencente à empresa Araupel, em Quedas do Iguaçu, de onde teriam roubado 32,66 quilos de soja em grão dos silos. A Justiçaem Quedas do Iguaçu havia determinado a prisão deles e a quebra do sigilo bancário. O pedido de liminar para que fossemlibertados foi negado pelo Tribunal de Justiça do Paraná. Ao analisar o mérito da questão, o ministro do STJ, Paulo Galotti, concluiuque não está comprovada a participação dos acusados no roubo da soja. A votação para extinção da ação penal foi unânime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.