STJ liberta prefeitos de PE presos em operação da PF

Um dia depois de o deputado estadual Claudiano Martins (PMDB-PE) ter sido libertado, por força de habeas-corpus concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), outros 15 suspeitos de envolvimento em licitações fraudulentas em oito municípios do agreste pernambucano foram libertados na noite de sexta-feira, 17, por volta das 23 horas (horário de Brasília).Os suspeitos são prefeitos, empresários e ex-integrantes de governos municipais da região, que haviam sido presos na terça-feira na Operação Alcaides, da Polícia Federal. As investigações apontam para desvio de recursos federais no valor de mais de R$ 10 milhões.O alvará de soltura foi expedido pelo desembargador do Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região, Francisco Barros Dias, que também emitiu as ordens de prisão, a pedido do Ministério Público Federal. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Federal, a prisão era temporária - cinco dias - e visou a facilitar as investigações. O prazo se encerraria no domingo e a PF não havia solicitado a prorrogação das prisões.No grupo de suspeitos estão os prefeitos de Manari - município de mais baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do País - Otaviano Martins, e de Águas Belas, Nomeriano Martins, ambos do PMDB e irmãos do deputado Cluadiano Martins, além do prefeito de Tupanatinga, Manoel Ferreira dos Santos.Eles são acusados de fraude em licitação, lavagem de dinheiro, corrupção, formação de quadrilha. As investigações tiveram início no ano passado e auditorias realizadas pela Controladoria Geral da União (CGU). O TRF expediu 21 mandados de prisão. Cinco deles ainda não foram cumpridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.