STJ dá liberdade provisória a Alváro Lins, ex-deputado no Rio

Preso desde maio do ano passado, ele é suspeito de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção

26 de maio de 2009 | 19h52

O ex-deputado estadual e ex-diretor da Polícia Civil do Rio de Janeiro Álvaro Lins obteve nesta terça-feira, 26, o direito à liberdade provisória. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu um habeas corpus determinando a soltura do ex-parlamentar se não houve outro decreto de prisão contra ele. O ex-deputado é suspeito de formação de quadrilha, facilitação de contrabando, lavagem de dinheiro e corrupção ativa.

 

Lins foi chefe da Polícia Civil nos governos de Anthony Garotinho e Rosinha Matheus (ambos do PMDB), entre 2000 e 2006. Segundo o Ministério Público, ele teria operado uma organização criminosa que usou a estrutura da Polícia Civil para cometer os crimes. Está preso desde maio do ano passado, quando a PF desencadeou a operação Segurança Pública S/A. Foi cassado logo em seguida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.