STJ autoriza novas buscas e apreensões no Distrito Federal

Pedido de quebra de sigilo foi feito pelo MP e pela PF; Arruda é suspeito de ser o cabeça do esquema

Vannildo Mendes, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2009 | 18h48

O ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acolheu parcialmente as solicitações do Ministério Público e determinou que a Polícia Federal realize novas buscas e apreensões nos endereços de acusados de envolvimento no esquema de distribuição de propina em Brasília, conhecido como mensalão do DEM. Gonçalves, porém, não deu os nomes desses envolvidos para não alertá-los. O ministro determinou também que os principais envolvidos no escândalo sejam interrogados.    

 

Veja também:

linkJosé Dias Toffoli adia para fevereiro decisão sobre Arruda

link 'É um dinheiro maldito', diz Joãosinho Trinta

linkRelator do caso Arruda no STJ se declara impedido

linkVerba à Beija-Flor causou disputa entre suspeitos no DF

linkOAB-DF pede cassação de dois distritais citados em mensalão

 

Gonçalves todavia não analisou ainda o pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal do governador José Roberto Arruda e demais envolvidos no esquema. O pedido de quebra de sigilo foi feito pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. Arruda é suspeito de ser o cabeça do esquema. Para não prejudicar as investigações, o ministro determinou o sigilo temporário das investigações nessa fase do inquérito.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDFSTJbuscas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.