STF vai investigar governador de RO por compra de votos

O governador de Rondônia, Ivo Cassol, o senador Expedito Júnior (PR-RO) e outros 11 acusados, entre eles um deputado estadual e secretários de Estado, serão investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento em um suposto esquema de compra de votos. A decisão foi tomada ontem, durante julgamento de dois recursos interpostos pela Procuradoria Geral da República e pelo senador Expedito Júnior.Um inquérito da Polícia Federal apurou a suposta existência de um esquema de compra de votos em Rondônia nas eleições de 2006. As provas colhidas na investigação levaram à cassação do mandato do senador Expedito Júnior pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO).Após a conclusão do processo, novo inquérito foi instaurado, desta vez para apurar suposta coação de testemunhas para alterarem depoimentos já prestados no processo que levou à cassação do senador. No segundo inquérito, a polícia constatou que o governador Ivo Cassol estaria coagindo e oferecendo vantagens às testemunhas da suposta compra de votos, para que negassem a existência do delito. Ontem, os ministros do STF iniciaram ainda a análise sobre a necessidade de autorização da Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia para o curso da ação penal contra o governador. Neste ponto, o ministro Eros Grau pediu vista dos autos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.