STF não inocentou nem culpou ninguém no mensalão, diz Lula

Presidente diz que oposição tentou atingi-lo, mas que foi inocentado nas eleições de 2006

Ricardo Amaral, da Reuters,

29 de agosto de 2007 | 18h53

Vinte e quatro horas depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter aceito a denúncia do caso mensalão, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu nesta quarta-feira, 29, oposicionistas que viram condenação ao governo na decisão. Para Lula, "ninguém foi inocentado ou culpado" ainda.   Especial: Os 40 do mensalão  "Eles (a oposição) na verdade tentaram me atingir e 61% do povo deu a resposta na eleição do ano passado", disse Lula a jornalistas depois da solenidade de lançamento do relatório oficial do governo sobre mortos e desaparecidos na ditadura militar (1964-1985).Na terça-feira, ao fim de um julgamento que durou cinco dias, o STF decidiu abrir ação penal por corrupção contra o ex-ministro José Dirceu e mais 39 envolvidos no caso, inclusive três ex-dirigentes do PT. Logo após a decisão, o presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse que o resultado do julgamento equivale a deixar "todo o governo no banco dos réus"."Eles sabem perfeitamente bem o que é o processo", disse Lula. Fico assistindo sem poder dar palpite nas decisões do Supremo, e o que aconteceu é a demonstração de que no Brasil as instituições estão funcionando e a democracia está sólida."Na mesma linha de ministros políticos que comentaram a decisão anteriormente, Lula procurou demonstrar que recebeu com naturalidade essa fase do julgamento, na qual o STF acolheu denúncia do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, sem examinar o mérito das acusações. "Houve um processo, houve um pedido de indiciamento, houve a aceitação desse indiciamento. Até agora ninguém foi inocentado e ninguém foi culpado", disse o presidente.   Para Lula, a ação penal do mensalão entra agora "em sua rotina normal", com exame de provas de acusação e defesa. "Quem tiver culpa pagará o preço, quem não tiver culpa será inocentado e quem ganhará com isso é a democracia brasileira."

Tudo o que sabemos sobre:
LulaSTFMensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.