STF mantém decisão que permite presença de deputados no Senado

O Supremo Tribunal Federal (STF)manteve nesta quarta-feira a liminar que autoriza 13 deputadosa assistirem a sessão secreta do Senado que votará o pedido decassação do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL),ainda nesta tarde. O plenário da corte referendou por 6 votos a 4 a decisãoliminar do ministro Ricardo Lewandowski, que autorizou osdeputados a entrarem no Senado para acompanhar a sessão secretana qual o peemedebista será julgado pelos colegas por conta daacusação de ter despesas pessoais pagas por um lobista daconstrutora Mendes Júnior. Com a decisão do plenário da corte, o mandado de segurançaimpetrado pela Mesa do Senado para impedir a presença dosdeputados na sessão foi descartado. O argumento era de que aentrada dos deputados seria inconstitucional. Depois de um tumulto no acesso dos 13 deputados aoplenário, o vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC),acabou liberando a entrada de outros deputados na Casa, masinsistiu que eles também estariam sujeitos ao silêncio sobre avotação a que estão submetidos todos os senadores. Alguns deputados que entram e saem da sessão estão passandoinformações sobre o que se passa no plenário.O mandado de segurança foi impetrado pelos deputados RaulJungmann (PPS-PE), Fernando Gabeira (PV-RJ), Chico Alencar(PSOL-RJ), Carlos Sampaio (PSDB-SP), Luiza Erundina (PSB-SP),Raul Henry (PMDB-PE), Paulo Renato Souza (PSDB-SP), LucianaGenro (PSOL-RS), José Carlos Aleluia (DEM-BA), AlexandreSilveira (PPS-MG), Fernando Coruja (PPS-SC), Gustavo Fruet(PSDB-PR) e José Aníbal (PSDB-SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.