STF mantém condenação de escritor por racismo

Por 8 votos a 3, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) concluíram que quem propaga idéias discriminatórias contra judeus comete o crime de racismo. A posição da mais alta Corte de Justiça do País sobre o assunto foi tomada nesta quarta-feira durante o julgamento de um pedido de habeas-corpus formulado pelo escritor e editor gaúcho Siegfried Ellwanger, condenado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul por divulgar livros com conteúdo anti-semita.O advogado de Ellwanger, Werner Cantalício João Becker, pode ainda recorrer ao STF.Segundo o presidente do STF, Maurício Corrêa, desde a promulgação da Constituição de 1988, este foi "o caso mais emblemático, no contexto dos direitos civis".O julgamento foi acompanhado pelo rabino Henry Sobel e outros integrantes da comunidade judaica. "Foi um julgamento histórico. Como brasileiros e como judeus, só podemos aplaudir a decisão do STF", disse Sobel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.