STF manda soltar deputados estaduais presos em Alagoas

Antônio Albuquerque e Cícero Ferro, acusados de pistolagem e desvio de verba, devem ser soltos nesta 4ª

Ricardo Rodrigues, de O Estado de S. Paulo,

30 Julho 2008 | 09h25

Os deputados estaduais afastados Antônio Albuquerque (sem partido) e Cícero Ferro (PMN) devem ser soltos ainda nesta quarta-feira, 30, após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, ter concedido habeas-corpus aos dois na noite na última terça.  Albuquerque e Ferro estão presos desde o último dia 11, acusados de pistolagem e de participação no desvio de R$ 280 milhões da Assembléia Legislativa de Alagoas. Ambos foram afastados da Assembléia Legislativa por determinação da Justiça, assim que foram indiciados pela Polícia Federal na Operação Taturana, que apura o desfalque. Veja também:STJ nega habeas-corpus a deputados estaduais de AL O deputado estadual João Beltrão (PMN), que também está preso, não recorreu ao STF, por isso deve ficar mais alguns dias no quartel do Corpo de Bombeiros, mas seu advogado, Antônio Fragoso, já adiantou que deverá buscar o mesmo caminho.  Para mandar soltar os acusados, o ministro Gilmar Mendes deferiu a liminar solicitada pelos advogados Welton Roberto, que defende Ferro; e Nabor Bulhões, contratado por Albuquerque. Os dois pedidos de liminar chegaram ao STF nos últimos dias 23 e 24. A prisão temporária dos três deputados afastados foi decretada pelos juízes da 17ª Vara Criminal da Capital, que atuam em conjunto com promotores de Justiça do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc). Os parlamentares recorreram, mas as prisões foram confirmadas pelo presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador José Fernandes de Hollanda Ferreira, e pelo então presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Gomes de Barros, que é alagoano.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.