STF licita compra de armas

Verba para substituir equipamentos é de R$ 104 mil

Felipe Recondo e Tânia Monteiro, Brasília, O Estadao de S.Paulo

09 de novembro de 2007 | 00h00

O Supremo Tribunal Federal (STF) compra hoje, por meio de licitação em pregão eletrônico, 35 pistolas calibre 380, 35 coldres e 1.000 balas de ponta oca, do tipo Dum Dum. O STF reservou R$ 104 mil para a licitação. A compra é para substituir equipamentos adquiridos em 1988.Essas armas serão usadas na ronda que os seguranças fazem no prédio do tribunal, especialmente para resguardar processos, e nas casas dos 11 ministros do STF. Cada arma terá preço máximo de R$ 2.680, virá acompanhada de dois pentes para 16 e 13 tiros e prazo de garantia de 12 meses. Os coldres para guardar as armas precisam ter travas de segurança. As balas custarão R$ 5,03 a unidade.O STF analisa ainda a possibilidade de comprar máquinas de choque - já usadas pelos seguranças do Senado - para os seguranças que ficam dentro do plenário do tribunal. Hoje, eles não portam nenhuma arma.Os responsáveis pela segurança do STF decidiram fazer a compra em 2005, mas o processo tramitou lentamente e precisou do aval da Polícia Federal. De lá para cá, três ministros do STF foram vítimas de assalto.Eros Grau foi assaltado em sua casa, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília. Dois homens encapuzados entraram na casa e levaram um carro, jóias e dinheiro. No ano seguinte, a presidente do STF, Ellen Gracie, e o vice, Gilmar Mendes, foram assaltados na Linha Vermelha, avenida do Rio que liga o Aeroporto do Galeão ao centro. Tiveram o carro e pertences levados pelos assaltantes.Depois desses acontecimentos, o STF cogitou no ano passado comprar 11 carros blindados para substituir sua frota. Mas a iniciativa não prosperou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.