STF isenta Maluf de ressacir SP por fuscas dado a jogadores

Depois de 32 anos, o ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) conseguiu encerrar um dos mais conhecidos processos que enfrenta na Justiça: o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que ele não precisa devolver aos cofres públicos o dinheiro gasto com a compra de 25 Fuscas dados de presente aos jogadores da seleção brasileira que conquistou o tricampeonato de futebol na Copa do México.Por 9 votos a 2, os ministros do STF negaram pedido do autor da ação popular, Vergílio Egydio Lopes Enei, que cobrava a restituição do que o Município de São Paulo gastou em 1970, quando Maluf era prefeito nomeado.Apenas os ministros Néri da Silveira e Ellen Gracie votaram a favor de que Maluf devolvesse os valores aos cofres públicos.Esta não foi a primeira vez que o STF analisou o caso. Em meados da década de 70, quando a composição do tribunal era totalmente diferente, os ministros concluíram que o ato fora lesivo ao município.Dentre outros argumentos usados na época, eles afirmaram que a doação dos Fuscas não teria atendido ao requisito de interesse da comunidade.Maluf recorreu e só em 1995 conseguiu anular a decisão. Inconformado, Vergílio Egydio insistiu com a ação no Supremo, que nesta segunda-feira deu ganho de causa ao ex-prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.