STF fica sem energia durante posse de Toffoli

Não havia nenhum convidado de pé, mas a cerimônia de posse do novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) José Antonio Dias Toffoli foi marcada pelo desconforto gerado pela falta de energia no prédio do STF. A Esplanada dos Ministérios ficou sem energia porque um gerador da Companhia Energética de Brasília (CEB) estourou. Os funcionários do STF correram para acionar o gerador do próprio tribunal.

AE, Agencia Estado

23 de outubro de 2009 | 19h41

Logo que acionado, uma nuvem de fumaça preta assustou os seguranças do tribunal. A energia de emergência foi suficiente apenas para acender as luzes e o sistema de som do plenário. O ar condicionado do plenário e o elevador usado pelos ministros ficaram sem funcionar.

Duas portas do tribunal foram abertas, mas o calor incomodou os mil convidados e o dono da festa, o ministro José Antonio Dias Toffoli, que se valeu de um lenço para secar seu suor durante os 15 minutos de sessão. A maquiagem de muitas convidadas derreteu.

Após receber os cumprimentos, Toffoli teve de atravessar a rua a pé até o carro que o levaria para uma recepção em uma casa de festa em Brasília.

As despesas do coquetel serão pagas pelas associações das carreiras da Advocacia Pública, da Magistratura, do Ministério Público e das Polícias Judiciárias. Ele saiu antes das 19 horas, horário previsto para o gerador parar de funcionar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.