STF entregará dados sigilosos de Paulinho ao Conselho de Ética

Deputado é acusado de envolvimento no esquema de desvio de recursos do BNDES, e Câmara apura denúncias

Felipe Recondo, de O Estado de S. Paulo,

25 de junho de 2008 | 19h49

O Supremo Tribunal Federal (STF) atendeu ao pedido do Conselho de Ética da Câmara e vai repassar aos deputados dados sigilosos do inquérito aberto no STF para investigar o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força Sindical. Os dados serão encaminhados sob o compromisso de que sejam mantidos sob sigilo pelos integrantes do Conselho. Veja também:Especial: Operação Santa TerezaNovo grampo da PF liga Paulinho a réus no caso BNDES Paulinho é acusado de envolvimento no esquema de desvio de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), descoberto pela Polícia Federal na Operação Santa Tereza. O suposto envolvimento do deputado no esquema foi identificado em grampos telefônicos e outros documentos obtidos pela PF durante as investigações. Diante desses indícios, a Corregedoria da Câmara encaminhou ao Conselho de Ética um pedido de abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra Paulinho. As informações serão usadas para embasar a investigação do Conselho que, ao final das apurações, pode encaminhar ao plenário da Casa um pedido de cassação de mandato do deputado.  No Supremo, o inquérito foi oficialmente aberto no início deste mês. As investigações correm sob segredo de justiça. O ministro que relata o inquérito, Carlos Ayres Britto, já autorizou diligências pedidas pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, dentre elas, pedidos de quebra de sigilo bancário e fiscal de envolvidos. Se os indícios forem confirmados, o procurador deve oferecer denúncia contra o deputado e pedir que seja aberta uma ação penal no STF.  

Tudo o que sabemos sobre:
STFConselho de Ética

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.