STF deve abrir inquérito criminal contra Jader

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Marco Aurélio Mello, admitiu na manhã de hoje, antes de participar de uma audiência pública, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que a tendência do Supremo é aceitar o pedido de abertura de inquérito criminal contra o senador Jader Barbalho para apurar as denúncias de desvio de recursos do Banpará. Segundo ele, a tendência, agora, é o relator do processo, ministro Carlos Velloso, apurar para se chegar a dados que viabilizem ou não a propositura de uma ação penal.O presidente do STF defendeu agilidade nas diligências, ressaltando que a velocidade depende do ministro Carlos Velloso. "Ele é ágil nisso", observou. Antes da audiência na CCJ, Marco Aurélio Mello teve um rápido encontro com o presidente interino do Senado, Edison Lobão, e com o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Paulo Costa Leite. Mello disse, no entanto, que o assunto Barbalho não foi discutido durante a conversa.Durante a audiência, Marco Aurélio afirmou que é preciso dar agilidade e estabilidade à Justiça brasileira. Segundo ele, os problemas do País não se resolvem apenas por novas leis. Citou como exemplo a utilização das medidas provisórias que, a seu ver, criam uma "instabilidade normativa"."Cobremos uma estabilidade normativa do Estado e modifiquemos para desburocratizar provicendiando o enxugamento de recursos para acelerar os processos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.