STF decidirá sobre eventual greve de servidor, diz ministro

Segundo Bernardo, com o fim da CPMF o governo não teve outra alternativa que não suspender reajustes

FABIO GRANER, Agencia Estado

22 de janeiro de 2008 | 15h02

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta terça-feira, 22, que o governo vai se valer da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em caso de greve dos servidores públicos. Segundo ele, com o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o governo não teve outra alternativa que não suspender as negociações de reajustes salariais. Ele afirmou que mesmo nos casos em que houve acordo não era necessário explicitar que o cumprimento estava vinculado à manutenção do imposto porque se trata de um pressuposto da administração pública que despesas novas tenham receitas correspondentes. Bernardo afirmou que o governo continuará negociando com os servidores, mas é preciso considerar que o quadro hoje é diferente por conta do fim da CPMF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.