André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

STF decide se Gleisi Hoffman e Paulo Bernardo viram réus no dia 27

Gleisi e Bernardo são investigados desde março de 2015 sob a suspeita de terem recebido R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobrás

Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2016 | 22h40

Brasília – A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) irá decidir no dia 27 de setembro se recebe a denúncia contra a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) e o seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. No julgamento, os cinco ministros do colegiado vão decidir se tornam os dois réus na Lava Jato. Se a Corte aceitar, Gleisi será a primeira senadora com mandato atualmente alvo de uma ação penal por suposto esquema de corrupção na Petrobrás.

Gleisi e Bernardo são investigados desde março de 2015 sob a suspeita de terem recebido R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobrás. As investigações apontam que o dinheiro foi usado para custear parte da campanha eleitoral da petista em 2010. Eles negam a acusação. No início de abril, a PF encaminhou indiciamento de Gleisi ao Supremo. Posteriormente, a Procuradoria-Geral da República (PGR) ofereceu a denúncia contra o casal.

O caso havia sido pautado para o final de agosto, mas retirado de pauta pelo próprio relator, ministro Teori Zavascki. Na ocasião, o ministro levou em conta o calendário do julgamento do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, do qual Gleisi participava como senadora.

Teori chegou a pautar o caso para ser analisado no próximo dia 20, mas, atendendo pedido da defesa de senadora, passou o julgamento para a outra semana, no dia 27.

Participam do julgamento na 2ª Turma, além de Teori, os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.