STF decide futuro de Oviedo no Brasil

O destino do ex-general paraguaio Lino Oviedo está novamente nas mãos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Hoje, os integrantes do STF começaram a discutir se o militar deve voltar para a prisão ou se pode continuar hospedado na casa de um primo, no elegante bairro do Lago Sul, em Brasília.O primeiro ministro a votar, Sydney Sanches entende que Oviedo deve retornar para o Batalhão da Polícia Militar de Brasília, onde ficou preso de junho de 2000 até julho deste ano. No mês passado, o presidente do Supremo, Marco Aurélio Mello, concedeu uma liminar autorizando o ex-general a ficar em prisão domiciliar na casa do primo. Após o voto de Sydney Sanches, o julgamento foi interrompido por um pedido de vista do ministro Nelson Jobim.O pedido para que Oviedo ficasse em prisão domiciliar foi encaminhado ao STF após os advogados do militar terem solicitado ao governo que reconheça a condição de refugiado do ex-general. Com o pedido de refúgio, foi suspensa a tramitação no Supremo do processo em que se discute se Lino Oviedo deve ou não ser extraditado para o Paraguai.O governo paraguaio pediu a extradição do ex-general sob o argumento de que ele teria envolvimento no assassinato do ex-vice-presidente, Luis ArgaÏa. Mas a defesa de Oviedo alega que o militar sofre perseguição política em seu país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.