STF dá prazo de 10 dias a Lula para explicar aumento do IOF

Presidente aumentos impostos como forma de compensar o fim da CPMF, derrotada no Senado em dezembro

Felipe Recondo,de O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2008 | 17h35

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, abriu prazo de dez dias para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se manifeste e forneça informações sobre o decreto que aumentou alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).   Após os dez dias, a Advocacia Geral da União (AGU) e o Ministério Público Federal (MPF) terão prazo de cinco dias cada um para analisar o decreto presidencial.   Veja Também:    Planalto apressa partilha de cargos para impedir derrubada de pacote    DEM recorre ao Supremo contra aumento do IOF   Governo deveria debater pacote com Congresso, diz Garibaldi       A resposta do presidente Lula e os pareceres da AGU e do MPF serão anexados à ação direta de inconstitucionalidade (adi) ajuizada na segunda-feira pelo DEM no Supremo Tribunal Federal contra o aumento do do tributo.   O procedimento adotado por Ellen Gracie acelera a análise do caso. Assim que as informações forem prestadas pelo presidente, pela AGU e pelo MPF, a ação será repassada a um relator no STF e, em seguida, remetida ao plenário do tribunal para que seja julgada em definitivo.   O mesmo procedimento deve ser adotado em relação à ação direta de inconstitucionalidade protocolada há pouco pelo DEM contra o aumento da alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) cobrada de instituições financeiras. Com esse trâmite, diminuem as possibilidades de um dos ministros, em decisão monocrática, monocraticamente, derrubar ou preservar as medidas do governo.

Mais conteúdo sobre:
IOFCPMFSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.