Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

STF confirma 'ambiente de segurança' para o combate à corrupção, diz Dallagnol

'Quanto mais imprevisibilidade, menor será o interesse de investigados de delatar e menos crimes serão revelados. A quem isso interessaria?', diz procurador da Lava Jato

Fabio Grellet, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 11h42

RIO - O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato, afirmou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que limitou a hipótese de revisão das delações “confirma o ambiente de confiança” para que grandes operações de combate à corrupção se desenvolvam no País. Dallagnol participa de reunião do Fórum Permanente de Segurança Pública, na Escola de Magistratura do Rio, no Centro.  “Quanto mais imprevisibilidade, menor será o interesse de investigados de delatar e menos crimes serão revelados. A quem isso interessaria?”, questionou.

Por 8 votos a 3, o plenário do STF decidiu que as colaborações premiadas só podem ser revisadas pelo colegiado se o delator descumprir os termos firmados com o Ministério Público Federal ou se ocorrerem ilealidades que possam motivar a anulação do acordo.

Para Dallagnol, os “avanços mais importantes no combate à corrupção” partiram do Judiciário, e não do Congresso. Ele citou a proibição do financiamento empresarial de campanhas e o cumprimento de condenações a partir da segunda instância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.