STF abre sessão com julgamento de ex-deputados do PT

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Carlos Ayres Britto, abriu com uma hora de atraso mais uma sessão de julgamento do processo do mensalão. A sessão desta quarta será retomada com o voto do ministro Gilmar Mendes sobre ex-deputados do PT e pessoas ligadas ao partido acusadas de lavagem de dinheiro por terem recebido recursos do esquema operado pelo publicitário Marcos Valério. Após Mendes, devem votar os ministros Celso de Mello e Ayres Britto.

RICARDO BRITO, Agência Estado

17 de outubro de 2012 | 15h26

Já há maioria no colegiado pela absolvição do ex-líder do governo na Câmara Professor Luizinho (PT-SP), da ex-assessora parlamentar Anita Leocádia e de José Luiz Alves, ex-chefe de gabinete do ex-ministro dos Transportes Anderson Adauto.

Na sessão desta tarde podem ocorrer três empates. O ex-ministro Anderson Adauto e os ex-deputados do PT Paulo Rocha (PA) e João Magno (MG) receberam cinco votos pela absolvição e dois pela condenação. Caso os três ministros que faltam votar considerem o trio culpado, ocorrerá um empate no julgamento. Isso já ocorreu com o ex-líder do PMDB na Câmara José Borba no caso da lavagem de dinheiro. A Corte só decidirá o futuro dos casos que por ventura empatem ao final do julgamento.

A expectativa é que essa etapa do processo seja encerrada antes do intervalo e, logo após, pode ser que o colegiado comece a apreciar o último item do processo: se o ex-ministro José Dirceu e mais 12 réus formaram uma quadrilha no esquema do mensalão.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.