STF abre inquérito contra deputado federal Bispo Gê

O deputado federal Geraldo Tenuta Filho (DEM-SP), conhecido como Bispo Gê, será alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal, aberto pelo ministro Celso de Mello a pedido do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza. Bispo Gê será investigado por ter contratado como funcionários fantasmas de seu gabinete, ainda quando era deputado estadual, Fernanda Hernandes Rasmussen e Douglas Adriano Rasmussen. Fernanda é filha dos fundadores da Igreja Renascer em Cristo - Estevam e Sonia Hernandes -, e casada com Douglas.Fernanda foi funcionária fantasma da Assembléia Legislativa de São Paulo de fevereiro de 2005 a setembro de 2006 e recebeu salário-base R$ 5.754,78, sem contar as gratificações. Douglas constava na folha de pagamento da Assembléia desde 20 de março de 2003 e recebia vencimentos de R$ 7.412,93. O caso foi revelado em fevereiro de 2007 em reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo. À época, Douglas ainda recebia salário da Assembléia, mas sem trabalhar. Uma funcionária do gabinete do Bispo Gê, que não quis se identificar, disse em resposta à reportagem que "a grande imprensa está toda comprometida com essa campanha contra o povo de Deus e só publica mesmo o quer".RenascerEstevam e Sonia Hernandes foram presos no início de janeiro deste ano ao entrarem nos Estados Unidos com dinheiro não declarado - US$ 56 mil, de acordo com a polícia americana. Os dois continuam presos depois de fecharem acordo com a Justiça dos Estados Unidos. Bispo Gê assumiu em fevereiro deste ano o mandato de deputado federal como suplente. Ele está afastado da Câmara desde agosto de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.