Stédile rejeita Justiça Agrária proposta por Lula

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), João Pedro Stédile, rejeitou e não considerou "solução verdadeira" a proposta feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva de instituir uma Justiça Agrária para resolver problemas da propriedade da terra no Brasil. "A solução verdadeira não se dá no Judiciário. O problema da concentração da propriedade da terra exige uma série de medidas, a principal delas é a aceleração da desapropriação para que terras improdutivas e ociosas sejam entregues aos trabalhadores. Esta é que é a medida fundamental", defendeu.Para Stédile, a proposta é "extemporânea". Na avaliação do dirigente do MST, "o presidente deve ter ouvido a sugestão de algum assessor" que lhe informou que, em alguns Estados, a Justiça Agrária funciona bem. "Há Estados em que ela realmente funciona bem, como em Santa Catarina, onde a Justiça Agrária nos têm ajudado, mas, em outros, não funciona. Minas Gerais tem uma Vara Federal de Justiça Agrária onde os juízes só criam dificuldades", disse Stédile, que concedeu entrevista esta tarde, em são Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.