Stédile chama Palocci de panaca

O coordenador nacional do MST João Pedro Stédile, afirmou neste domingo que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci é um ?panaca?, durante discurso para uma platéia de estudantes, na Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói. ?Claro que é uma força de expressão, para que as pessoas se dêem conta que um dos problemas que o Brasil tem é a política econômica", disse. "E o ministro (Palocci), embora não seja o autor dessa política, porque como ele mesmo reconheceu é o continuador da política anterior, então ele está fazendo papel de panaca".Para Stédile a política econômica adotada pelo governo Lula é uma invenção ?neoliberal? do FMI e dos economistas do PSDB, ?que ainda estão mandando no Ministério da Fazenda?. Na opinião do coordenador do MST, é preciso que o presidente recupere os compromissos assumidos na ?Carta aos Brasileiros?, antes das eleições. ?A política que o Palocci está fazendo é uma política de ministro do Serra (José Serra, que disputou a eleição presidencial). E nós brasileiros votamos no Lula, e não no Serra?, criticou.Com dados do Incra e do plano nacional de reforma agrária, o coordenador do MST disse que há 200 mil famílias acampadas em beiras de estrada à espera de um assentamento. "O nosso problema não é se são 38 mil ou 40 mil (famílias assentadas), o problema é que se faça logo os 120 mil assentamentos?, afirmou. De acordo com ele, há 55 mil imóveis no País, em geral acima de 1 mil hectares, que são classificados como grandes propriedades improdutivas. Esse total, diz ele, equivale a 116 milhões de hectares desapropriáveis. Stédile anunciou um calendário de eventos para os próximos meses. No próximo dia 16, o MST realizará uma série de manifestações em prédios públicos que representam a atual condução econômica do País, como os prédios do Banco Central. O coordenador dos sem-terra disse que a orientação é de não invadir. No dia 25, haverá uma manifestação em prol da reforma agrária. No dia 11 de agosto, será a vez de 20 mil estudantes realizarem uma marcha em Brasília. Nos dias 13 e 14 de agosto, o MST planeja acampar em frente à embaixada dos Estados Unidos, em Brasília, para ?ajudar o Chávez (Hugo Chávez, presidente da Venezuela) a derrotar os americanos?, referindo-se ao referendo dia 15 de agosto, quando os venezuelanos votarão pela permanência, ou não, de Chávez no poder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.