Stédile ataca PSDB e diz que governo Lula é aliado do MST

O coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, usou hoje uma palestra para 4 mil sem-terra, em Curitiba, para atacar o PSDB e defender o governo Lula, embora tenha renovado críticas à política econômica, em especial ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. "O PSDB e os governadores tucanos não têm nenhuma moral para dizer que as mobilizações de massa, seja do MST, seja dos servidores, seja da Polícia Federal causam algum prejuízo econômico, porque eles estão apoiando a política econômica, aliás o presidente do Banco Central é filiado ao PSDB", criticou. Stédile negou que o MST esteja sendo isolado pelo governo federal. "Nós temos boas relações com o governo, negociamos permanentemente, consideramos o governo nosso aliado", disse. "O que o governo tem que isolar é o latifúndio, pois está na Constituição que toda propriedade improdutiva, que não cumpra sua função social, deve ser desapropriada." Ele rebateu também as críticas do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, de que as invasões de terra agravam a "anemia econômica". "É uma santa ignorância", afirmou. "Acho que o Alckmin está reagindo assim porque nos últimos dois anos nenhuma família foi assentada no Pontal do Paranapanema e, no Pontal, não é problema do Incra, no Pontal são terras públicas estaduais." O líder dos sem-terra disse que Alckmin por ser médico, "não entende nada de agricultura, não entende nada de conflito no meio rural".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.