SP quer proibir reprodução de pitbull

O projeto de lei que proíbe a reprodução e comércio em todo o Estado de São Paulo de cães das raças pitbull, rottweiler e mastim napolitano já poderia ter sido votado pela Assembléia. A proposta, apresentada em 1999 em caráter de urgência pelo deputado Albertro Calvo (PSB), passou por todas as comissões da Casa e aguarda para ser incluído na ordem do dia.Em caso de aprovação, o projeto ainda dependerá da sanção do governador. De acordo com o projeto, os proprietários e criadores terão 30 dias, a partir da publicação da lei em Diário Oficial, para fornecer aos órgãos competentes todos os dados sobre os animais, suas datas de nascimento, condições em que vivem, além das condições de segurança em relação à sociedade.A proposta prevê ainda que o desenvolvimento e controle da população animal de pitbulls, rottweilers e mastins napolitanos será feita pelo Estado em parceria com os Municípios. A regulamentação da lei deverá ser feita em 90 dias após a publicação. A criação de cachorros da raça pitbull está proibida na Inglaterra e na França.Doméstica O projeto foi apresentado após a empregada doméstica Edésia Fernandes dos Santos, de 58 anos, ter sido morta por dois rottweilers e um pitbull, em setembro de 1998, em Cotia, na Grande São Paulo. Ela teve a cabeça, o peito e a perna esquerda estraçalhados pelas mordidas dos animais, que ainda comeram partes de seu corpo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.