DIDA SAMPAIO/Estadão
DIDA SAMPAIO/Estadão

SP deve ganhar atenção especial na campanha de Dilma

Dilma enfrenta elevados índices de rejeição no Estado

RICARDO DELLA COLETTA E RAFAEL MORAES MOURA, Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2014 | 14h29

A presidente Dilma Rousseff explicou, nesta quinta-feira, 07, o foco de sua campanha à reeleição no Estado de São Paulo. Ela disse que precisa levar em consideração a população das unidades da federação e que São Paulo concentra o maior número de habitantes e eleitores do Brasil. "Por que São Paulo? Porque é o maior Estado e eu tenho de levar a consideração a população deste País", disse.

O Estado é onde Dilma enfrenta elevados índices de rejeição. Questionada sobre o assunto, a presidente não respondeu e se despediu dos repórteres mandando beijos. Segundo levantamento Datafolha, a rejeição de Dilma em São Paulo atinge 47% no Estado e 49% na capital.

Dilma passou rapidamente no início desta tarde por um almoço com empreendedores que estiveram presentes na cerimônia de sanção da lei que altera o estatuto da Micro e Pequena Empresa. Ela permaneceu menos de 20 minutos com os empresários, em um restaurante em Brasília. Do lado de fora, a campanha de Dilma havia montado uma estrutura para uma coletiva de imprensa, mas a presidente fez somente uma declaração, na qual falou sobre a lei agora recém-sancionada. Ela respondeu a apenas uma pergunta.

Ele embarca para São Paulo, onde participará, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de um ato de apoio à sua candidatura com centrais sindicais. Na sexta-feira, 08, a presidente tem agenda na zona norte da capital paulista e, no sábado, está prevista uma caminhada em Osasco ao lado de Lula e do candidato do PT ao governo do Estado, o ex-ministro Alexandre Padilha.

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesDilmaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.