SP: cães devem estar livres de raiva até 2002

A raiva entre cães e gatos deve estar totalmente controlada em São Paulo até o ano que vem, segundo previsões do Instituto Pasteur, que centraliza o combate à doença no Estado. O número de casos registrados entre os animais caiu de 191, em 1994, para 5 em 1999 e 4 no ano passado. O auxiliar de pedreiro que morreu na capital na semana passada, cujo nome não foi revelado, teria sido contaminado num pequeno município do norte de Minas, onde esteve em dezembro.Técnicos do Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo estiveram no bairro onde morava o pedreiro, nas imediações do Cemitério da Vila Alpina. Por precaução, estão vacinando os animais num raio de 3 quilômetros da casa. "Mais preocupante é a epidemia de raiva que ataca rebanhos", diz Neide Takaoka, diretora-geral do Pasteur. Até 1988, o Estado tinha cerca de 180 casos de raiva rural ao ano. O número subiu para 550 em 1999 e 871, em 2000. O combate ao morcego, principal transmissor da doença no campo, foi intensificado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.