Souza Cruz é liberada de depósito para ex-fumante

O presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Troiano Netto, liberou a Souza Cruz de fazer o depósito de R$ 100 mil - divididos em parcelas mensais de R$ 3 mil - para o ex-fumante e advogado Galdino de Andrade. A determinação era da juíza de 1ª instância da 5 ª Câmara Cível da Comarca de Maringá, Denise Hammerschmitd. A quantia refere-se a pedido de antecipação de tutela feito na ação indenizatória movida por Andrade. O advogado propôs a ação em 7 de maio, alegando ter começado a fumar na adolescência, motivado pela propaganda abusiva e enganosa da companhia, teve câncer no pulmão e enfisema pulmonar, sendo obrigado a fechar seu escritório de advocacia por causa de problemas de saúde. Pela primeira vez o Tribunal de Justiça do Paraná está apreciando a questão da tutela antecipada em ações de indenização por danos supostamente causados pelo consumo de cigarros. Segundo a Souza Cruz já foram propostas 176 ações contra a empresa em busca de ressarcimento de danos supostamente causados pelo consumo de cigarros. Há 159 em curso. A empresa obteve 42 decisões favoráveis. A sentença do Tribunal de Justiça do Paraná alinha-se às cinco últimas decisões concedidas pelo TJ mineiro. Os juízes estão aceitando as teses de defesa apresentadas pela empresa no que se refere aos pedidos de antecipação de tutela e inversão do ônus da prova. Além de Minas os tribunais de São Paulo e Rio de Janeiro, no último mês, também decidiram em favor da Souza Cruz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.