Souza Cruz derrota outro ex-fumante na Justiça

O aposentado Marcos Pereira Ribeiro, de 61 anos, foi o terceiro ex-fumante a sofrer derrota judicial em ações movidas contra a Souza Cruz, desde o início de 2000, no Tribunal de Alçada de Belo Horizonte. Ribeiro, que sofre sérios problemas cardíacos e já passou por cirurgias para tratar câncer na bexiga, na próstata e na vesícula, acionou a companhia no ano passado, no Fórum de Além Paraíba. A juíza Liliane Oliveira, da 1a Vara Cível da cidade, concedeu liminar ao ex-fumante, exigindo que a Souza Cruz depositasse R$ 15 mil na conta dele, para custear tratamento de saúde, e também invertendo o ônus da prova no processo - ou seja, atribuindo à empresa a tarefa de mostrar que o cigarro não havia causado as doenças de Ribeiro, que fumou por cerca de 40 anos. A Souza Cruz entrou com recurso contra a liminar, julgado anteontem pela 5a Câmara Cível do Tribunal de Alçada, na capital.Por unanimidade, os três juízes decidiram suspender a decisão da primeira instância. Em seu voto, o relator do agravo, Brandão Teixeira, considerou que não havia nos autos "prova de verossimilhança" de que o ex-fumante somente consumira cigarros fabricados pela Souza Cruz. Acompanhado pelos colegas Eduardo de Andrade e Ernane Fidélis, Teixeira também afirmou não haver indícios suficientes de que o cigarro tenha sido o responsável pelo estado de saúde de Ribeiro. Um dos advogados do ex-fumante, Marco Antônio Rebelo Romanelli, disse que assim que a decisão do Tribunal de Alçada for publicada, em duas semanas, será estudada a possibilidade de um "embargo de agravo", questionando a suspensão da liminar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.