Souza Cruz condenada a indenizar família de vítima de câncer

A 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou a Souza Cruz a pagar indenização, por danos morais, de 1.700 salários mínimos (cerca de R$ 480 mil) à mulher e aos quatro filhos de Luiz Vilmar Borges Pinto, que morreu vítima de câncer de pulmão, após fumar por mais de 30 anos. O julgamento, realizado na quarta-feira, foi unânime. O tribunal reverteu decisão anterior que havia julgado a ação improcedente.O desembargador Luís Augusto Coelho Braga considerou que houve "omissão na ação". Para ele, a empresa "sabia que a composição química do tabaco continha cerca de quatro mil compostos que levam à dependência psíquica e química" e que o cigarro resulta em "várias doenças". Na sentença, ele diz que a Souza Cruz "tinha e tem a obrigação" de impedir a vítima do cigarro e que a empresa é culpada "por omissão e pela morte da vítima".A indenização será corrigida pelo IGP-M até a data do julgamento, acrescida de juro de 6% a o ano a contar da morte. O tribunal negou a indenização por danos materiais, por avaliar que não ficou comprovado o impedimento da esposa de trabalhar ou a venda de bens materiais para cobrir despesas médicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.