André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Sorteio de novo relator da Lava Jato deve acontecer nesta quinta-feira

Após Fachin protocolar pedido para mudar de turma, Cármen Lúcia decidiu consultar demais ministros e adiar escolha prevista inicialmente para a quarta-feira, 1º

Beatriz Bulla, Breno Pires e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2017 | 08h00

BRASÍLIA - O novo relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal deve ser conhecido nesta quinta-feira, 2, duas semanas depois da morte do ministro Teori Zavascki em um desastre aéreo. A previsão inicial da presidente do STF, Cármen Lúcia, era realizar o sorteio na quarta-feira, 1º, no retorno aos trabalhos na Corte. Uma mudança na composição das turmas da Corte, contudo, adiou a definição. O ministro Edson Fachin, da Primeira Turma, oficializou um pedido para migrar para a Segunda.

Com isso, Fachin engrossa a lista dos que podem se tornar os novos relatores da Lava Jato, composta ainda pelos ministros Celso de Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. O novo relator será escolhido por um sorteio eletrônico entre os cinco ministros da Segunda Turma, da qual Teori fazia parte.

Cármen preferiu aguardar manifestação formal de todos os demais integrantes da Primeira Turma sobre a decisão de Fachin. Como ele é o novato no colegiado, é também o último a ter prerrogativa para solicitar a transição. Até o início da noite de quarta, dois ministros já haviam comunicado Cármen de que não se opõem à mudança. Nos bastidores, os quatro integrantes da Primeira Corte já revelaram concordar com a ida de Fachin para o colegiado da Lava Jato.

Teori. Nessa quarta, na primeira sessão do ano, o STF realizou uma sessão de homenagem a Teori. A reverência em plenário ao colega morto foi conduzida pelo decano, Celso de Mello. “O ministro Teori, atingido por um desses golpes terríveis e inesperados do destino (...), despede-se de nós em um momento de graves e profundas inquietações que tanto afetam a vida desse País e comprometem a correção e lisura de nossos processos políticos e administrativos”, disse Celso.

Durante a sessão de homenagem, a toga de Teori esteve colocada em cima da poltrona do ministro no plenário do STF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.