Gleisi Hoffmann/TWITTER
Gleisi Hoffmann/TWITTER

‘Soropositivo custa ao País? Quem custa é ele’, diz Haddad

Derrotado nas eleições de 2018, o petista também falou que o presidente é 'democrático nas ofensas', por ofender todo mundo, e chama Bolsonaro e Guedes de 'parasitas'

Caio Sartori, O Estado de S. Paulo

08 de fevereiro de 2020 | 14h12

RIO - O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, candidato derrotado do PT nas últimas eleições presidenciais, rebateu na tarde deste sábado, 8, declarações dadas pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Bolsonaro falou que  uma pessoa portadora de HIV representa "uma despesa para todos no Brasil" ao defender a ideia da ministra Damares Alves, de que abstinência sexual deve ser considerada uma método contraceptivo. “Um presidente falar que os soropositivos custam ao País? Quem custa é ele”, disse Haddad na comemoração de 40 anos do PT, na Fundição Progresso, Rio de Janeiro. 

O petista também criticou a afirmação feita ontem por Guedes sobre os servidores públicos, comparando-os a parasitas. “Um cara que vem do mercado financeiro, que só lucrou em cima de especulação a vida inteira, nunca pregou um parafuso, vai chamar alguém de parasita? Parasita é ele.” 

No contexto da crítica a Guedes, Haddad também citou o histórico político de Bolsonaro e sua família para classificá-los como parasitas. “Um cara que ficou 28 anos na Câmara e nunca aprovou um projeto, um cara que ‘rachava’ o dinheiro dos funcionários de gabinete”, apontou, em referência à investigação do Ministério Público do Rio que investiga o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República.

Haddad ainda pintou Bolsonaro como alguém que “fica ofendendo”, e citou, para exemplificar a crítica, a esposa do presidente francês, Emmanuel Macron. “Todo dia tem alguém sendo ofendido. Ele é democrático na ofensa: ofende todo mundo, menos seus correligionários covardes, que ficam nas redes sociais fazendo fake news contra as pessoas”, disse. “Se a gente ficar com medo de fake news, de rede social fascista, eles vão avançar”, completou o ex-prefeito.

A festa de 40 anos do PT teve início na noite de ontem no Circo Voador, que fica ao lado da Fundição Progresso, na Lapa, centro da cidade. Durante este sábado, uma série de mesas está programada para debater o futuro do partido e do País. Às 18h, na atração principal do evento, o ex-presidente Lula conversa com o ex-presidente uruguaio ‘Pepe’ Mujica. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.