Sorocaba registra primeiros casos de dengue

Três casos de dengue registrados pela Seção de Prevenção e Controle de Zoonoses de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, podem ser os primeiros eventos autóctones, ou seja, casos cuja transmissão ocorreram na cidade. Em todos os casos anteriores, os pacientes adquiriram a doença em viagens a regiões consideradas epidêmicas. As ocorrências colocam Sorocaba na rota da epidemia de dengue que já atingiu outras regiões do Estado. Até agora, o município vinha conseguindo evitar a disseminação da doença através de intensas campanhas de combate ao mosquito transmissor. Os casos surgiram em três bairros diferentes - Vila Jardini, Parque das Laranjeiras e Sol Nascente - e em todos tinham sido localizados criadouros do mosquito. Os diagnósticos médicos, feitos com base nos sintomas, apontaram a doença, mas a confirmação ainda depende dos exames em laboratório, que ficam prontos em uma semana. O secretário municipal de Saúde, Vítor Lippi, considerou preocupante o aparecimento dos casos, pois as campanhas e os esforços de contenção não têm conseguido evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Até o início da semana, tinham sido encontrados 282 focos na cidade. A Secretaria alertou a população para buscar ajuda médica caso algum familiar apresente os sintomas da doença. A procura pelo socorro imediato, além de favorecer o tratamento do doente, permitirá medidas rápidas de bloqueio da região, evitando que a dengue se espalhe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.