Sombra deixa a cadeia escoltado por dois seguranças

O empresário Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, acusado de ser o mandante do assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel (PT), foi libertado no fim da tarde de ontem do Centro de Ressocialização do Complexo Penitenciário de Itapetininga onde cumpria prisão preventiva. Preso em 11 de dezembro de 2003, quase 2 anos depois do crime, ele foi beneficiado por uma liminar concedida ontem pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Jobim. O ministro entendeu que o empresário preenche as condições para responder ao processo em liberdade, porque não representa risco para a ordem jurídica.Sombra, que em junho de 2002 foi citado por promotores como integrante de um esquema de corrupção na administração municipal de Santo André, saiu da penitenciária numa van Mitsubishi Pajero, preta, dirigida pelo advogado Roberto Podval. Ele não deu entrevistas e cobriu a cabeça com um paletó para evitar os fotógrafos. O veículo saiu escoltado por dois seguranças que ocupavam um Golf cinza escuro e pelo Citröen Xsara preto do advogado Odel Antun. O motorista do Golf, com placas DEH 8039, de Santo André, jogou várias vezes o veículo contra os carros de reportagem do Estado e do Diário de São Paulo, que seguiam a Pajero na Rodovia Gladys Minhoto ? ligação do complexo à cidade. Na portaria do presídio, ele havia se identificado como Marcello Grillo Garcia, de 30 anos, enteado de Sombra. Os dois veículos ocuparam as duas pistas o Golf ia na contramão para permitir que a Pajero se distanciasse. O grupo seguiu São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.