Solidariedade tem alta adesão dentro das três bancadas

Criado sob forte influência sindical, o Solidariedade, presidido pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força Sindical, aparece com destaque na bancada “BBB”. 

Pedro Venceslau, O Estado de S. Paulo

25 Abril 2015 | 18h00

Dos 16 deputados da sigla na bancada, 13 (81%) são ruralistas, o que faz dela a maior presença proporcional no grupo, à frente até mesmo do PMDB. Tradicionalmente ligados às questões do agronegócio, os peemedebistas têm 50 de seus 67 deputados na Frente Parlamentar Ruralista (75%).

Dentre os evangélicos, o Solidariedade também se destaca como a terceira bancada em termos proporcionais. Seis dos 16 deputados estão ali (38%), atrás apenas de partidos institucionalmente vinculados aos segmentos evangélicos, como o PRB (75%) e o PSC (69%).

Paulinho minimiza a alta adesão às bancadas “BBBs”. “Muita gente assina para entrar nessas frentes sem convicção nenhuma e nem sabe direito do que se trata, só porque foi um pedido de deputado amigo”, afirma o parlamentar.

Veja bem. Há outros casos curiosos. Apesar de comandar o grupo ambientalista e ser adversário dos ruralistas, o PV conta com dois parlamentares na bancada ligada ao agronegócio. “Essa é uma estratégia nova do partido. Precisamos ter gente nossa lá para defender nossos interesses e ser uma ponte. Mas na hora de votar, há coesão na bancada”, afirma o deputado Sarney Filho (PV-AM), presidente da Frente Parlamentar Ambientalista.

O PSOL, sigla de esquerda que defende o Estado laico e é porta-voz dos direitos LGBT, mas conta com um deputado que participa das bancadas evangélica e da bala. “O deputado Cabo Daciolo (RJ) está suspenso do partido e sendo julgado no conselho de ética”, diz o deputado Ivan Valente (PSOL-SP). “Somos contraparticipar, porque essas frentes, bala, ruralista e evangélica, agem de forma articulada.”

A bancada da bala é dominada pelo DEM, que tem todos os seus 22 deputados ali. Para o presidente da legenda, senador José Agripino (DEM-RN), a força nas bancadas “é proporcional à força e à consistência do tema que esteja sendo tratado”. “No DEM, a iniciativa de participar delas é individual, não partidária”, explica.

Adversários no plano nacional, PT e PSDB também compõem a bancada BBB. Os tucanos estão proporcionalmente mais representados. Dos seus 53 deputados, 62% estão na bancada da bala, 32% são ruralistas e 9%, evangélicos. Em relação aos 64 petistas, 23% estão no grupo da bala, 11% na bancada ruralista e 5% entre os evangélicos. / COLABOROU NIVALDO SOUZA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.