Soldado da Aeronáutica é morto no Recife

Um dos principais núcleos de inteligência da Aeronáutica no Nordeste, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego (Cindacta III), foi palco de uma morte violenta. Durante a madrugada, o soldado José Leandro Aquino de Santana, 18 anos, foi morto com um tiro de pistola 9 milímetros na nuca. O principal suspeito é outro militar, um aspirante identificado apenas como ?Vital?. Vítima e suspeito eram amigos desde a adolescência, e ingressaram juntos na carreira militar.A versão do comando da Aeronáutica é de que Aquino teria sido morto acidentalmente. "O soldado Vital estava de sentinela. Em determinado momento, Aquino se aproximou da guarita onde outro soldado estava e não se identificou. Ainda não sabemos porque e nem como, mas a arma foi disparada", explicou a Assessoria de Comunicação da Aeronáutica, em nota oficial.Apesar disso, fontes ligadas à Polícia Federal afirmam que ainda existem muitas dúvidas sobre as circunstâncias em que aconteceu a morte. "Algumas testemunhas dizem ter ouvido primeiro um disparo sem qualquer aviso prévio. Como a vítima foi levada ao hospital, a perícia foi prejudicada, mas é no mínimo estranho que um soldado chegue tão perto - segundo a perícia da PF, a distância entre os dois era de um metro, e o lugar era iluminado - de uma guarita sem se identificar", revelou a fonte.Um oficial da Aeronáutica, que prefere manter a identidade sob sigilo, disse ter ouvido uma discussão entre Aquino e Vital poucas horas antes do crime. "Eles eram muito amigos, mas de uns dias para cá estavam um pouco distantes. Na noite de sexta-feira, ouvi uma discussão entre eles. Não deu para saber o motivo. Vi que eles gesticulavam bastante", explicou o oficial.A família da vítima diz acreditar na versão divulgada pela Aeronáutica. "Meu irmão e Vital eram muito amigos. Temos certeza que uma tragédia como essa só pode ter acontecido acidentalmente", disse o comentou o irmão do soldado morto, Gustavo Vicente de Santana.As investigações estão sendo feitas pela Polícia Federal. O inquérito deve ficar pronto em 20 dias. O acusado está detido no II Comando Regional da Aeronáutica, no bairro de Piedade, região metropolitana do Recife. Aquino era filho de um sub-oficial da Aeronáutica w queria seguir carreira militar. Seu corpo foi sepultado hoje às 15h30, no cemitério de Santo Amaro, no centro de Recife.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.