Soja: Depois de falar com Lula, Alencar decide assinar MP

Depois de mais de uma hora de conversa por telefone com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está nos Estados Unidos, o presidente em exercício José Alencar teria decidido, no início da noite de hoje, assinar a Medida Provisória liberando o plantio de soja transgênica. A informação é do senador Paulo Paim (PT-RS), que participou de reunião entre parlamentares gaúchos e Alencar no Palácio do Planalto. A MP provocou uma das maiores crises no governo desde a posse do novo governo. Com ordens de Lula para que levasse a minuta da MP para que o presidente em exercício, José Alencar, a assinasse, o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, irritou-se com a demora na edição da medida. E viu-se obrigado a adiar para amanhã a viagem para Cuba, marcada para ontem. O desgaste entre o vice e o chefe da Casa Civil foi tamanho que o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, teve de servir de mediador em reuniões com parlamentares. Ao mesmo tempo, Alencar começou a sucumbir ao lobby dos defensores e dos contrários ao plantio da soja transgênica. No Congresso, teve início o zunzum de que a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, se demitiria caso a MP fosse assinada. Mas a assessoria da ministra negou o boato, sob o argumento de que o problema dos transgênicos é muito pequeno perto dos outros setores sob responsabilidade do ministério, como a Amazônia, o Pantanal e os parques nacionais que ardem em chamas. Segundo Paim, Alencar ressaltou que assinaria a MP, mas a responsabilidade seria de todos. ?Eu estou assumindo a responsabilidade. Se der problema no futuro, vocês também serão culpados?, teria dito Alencar aos parlamentares, segundo Paim. Logo em seguida, o senador tentou suavizar a declaração: ?Ele (Alencar) disse que a responsabilidade é coletiva?, corrigiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.