Socos de deputados do PMDB adiam indicação para comissões

Por causa de uma briga física entre grupos opostos do PMDB, ontem à noite, o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) teve de adiar para a próxima semana a eleição para os presidentes das comissões permanentes da Casa. Os grupos governista e de oposição do PMDB partiram para o pugilato ontem, por volta da meia-noite, na disputa pela liderança do partido na Câmara. Cabe ao líder indicar os presidentes das comissões permanentes da Casa a que o partido tem direito pela regra da proporcionalidade.Deputados dos dois grupos trocaram socos na Secretaria Geral da Mesa, quando cada lado tentava entregar uma lista de apoio à indicação de um líder. Se envolveram na briga física os deputados Hermes Parcianello (PR), Max Rosenmann (PR), Nelson Bornier (RJ). Disputam a liderança os deputados Wilson Santiago (PB), da ala governista, e Waldemir Moka (MS). O resultado da briga foi sangue no chão, um relógio de pulso e um vaso quebrados, funcionários assustados e provavelmente uma sindicância para apurar a indisciplina dos parlamentares. O PMDB, de acordo com a regra da proporcionalidade, pelo tamanho das bancada, tem direito a indicar os presidentes das comissões de Finanças e Tributação, Turismo e Desporto e Viação e Transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.