Sociedade não confia nos políticos, mostra pesquisa

A sociedade não confia nos políticos e muitos desconhecem atribuições de órgãos de combate à corrupção. É o que mostra pesquisa realizada no Distrito Federal por alunos do curso de Ciências Política da Universidade de Brasília (UnB). A maior parte dos entrevistados (90,1%) disse não confiar nos políticos, sendo que 73% não acreditam no trabalho dos senadores e 85,7% não confiam nos deputados. O Judiciário também não obteve bons resultados, uma vez que 53,4% disseram que desaprovam a Justiça Brasileira. A população mostra confiança nas Forças Armadas (63,4%), na Polícia Federal (63,1%), nos bombeiros (36%) e professores (28,6%). O professor Ricardo Caldas, um dos coordenadores da pesquisa, destacou ainda dados que mostram que a população de Brasília não conhece órgãos de combate à corrupção como o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria Geral da União (CGU). Os números mostram que 55,1% não conhecem o trabalho do TCU e 68,4% desconhecem o trabalho da CGU. No entanto, o professor disse que a população continua otimista e que 86% dos entrevistados acreditam que a corrupção pode ser combatida. Eles apontaram como órgãos para enfrentar o crime o Ministério Público, a Polícia Federal e a própria sociedade. ?Para a sociedade ter participação, ela precisa se organizar?, defendeu Caldas. Além disso, a pesquisa mostrou que a corrupção não está longe da sociedade. O professor disse que 20% - ou uma em cada cinco pessoas - afirmaram que estiveram envolvidas em algum ato de corrupção - seja recebendo ou dando propina. A pesquisa foi apresentada no Senado, em audiência que lembrou o Dia Internacional contra Corrupção. Foram ouvidas 839 pessoas entre os dias 7 e 17 de setembro de 2006. Dos entrevistados, 30,9%m têm de 18 a 25 anos e 55,6% têm trabalho fixo. Dos ouvidos pela pesquisa, 35,6% cursaram até o segundo grau, 23,8% têm o ensino superior incompleto e 25,6%, o superior completo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.