Sobreviventes da queda do avião estão em estado grave

Um avião monomotor, prefixo PTNCX caiu e explodiu, no final da manhã desta sexta-feira, quinze segundos depois de decolar do aeroporto "Júlio Cesar", em Belém, com destino a Altamira, matando o piloto e um passageiro. Duas pessoas, com queimaduras pelo corpo e diversas fraturas, conseguiram sobreviver. Elas foram internadas em estado grave em hospitais particulares. A Aeronáutica abriu inquérito para apurar as causas do acidente, que aconteceu bem próximo de uma das mais movimentadas avenidas da cidade, a Almirante Barroso. O avião pertencia ao delegado da Polícia Civil do Pará, Luiz Carlos Barbosa, que sobreviveu com várias fraturas, assim como o passageiro Edinaldo Araújo Silva, este com 60% do corpo queimado. SuspeitaNo local da queda foi levantada a suspeita de que o monomotor estaria levando drogas para Altamira, o que não foi confirmado. A queda do aparelho ocorreu após uma segunda tentativa de decolagem com destino à Altamira, 600 km a sudoeste da capital paraense. As primeiras investigações de peritos da Aeronáutica apontam para a possibilidade de falha técnica do piloto Mário Gomes, que morreu ao lado do passageiro Daniel da Cruz Oliveira. "Eles queriam voar às 6 da manhã, mas não conseguiram, porque o rádio estava com defeito. Tiveram de retornar e fizeram o conserto. Com a permissão para voar, decolaram e deu nisso", declarou o empresário Valber Melo, amigo de um dos ocupantes feridos no acidente. Melo disse que o piloto sabia que o avião tinha problemas, mas insistiu em fazer a viagem. O engraxate Silvio Luiz Nixon, que estava numa parada de ônibus, contou ao Estado ter visto quando o piloto, logo após a decolagem, tentou retornar ao aeroporto. "Acho que tinha dado pane e ele quis pousar o avião, mas não deu tempo. O aparelho caiu no mato, bem perto da pista e sua explosão assustou todo mundo". O Serviço Regional de Aviação Civil (Serac), depois que os bombeiros apagaram o fogo e os peritos do Instituto Médico Legal (IML) recolheram os corpos carbonizados das vítimas, começou a selecionar as peças do aparelho que serão submetidas à analise. "Elas dizem muito sobre o que pode ter acontecido", resumiu um oficial da Aeronáutica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.