Sobre vídeo do PSDB, Tasso diz que não se arrepende 'de nada'

Presidente interino do partido afirma que assume 'total responsabilidade' pelo conteúdo polêmico de propaganda de TV

Lauriberto Pompeu, especial para o 'Estado', O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2017 | 13h56

FORTALEZA  - O presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), afirmou nesta sexta-feira, 18, que assume "total responsabilidade" pela propaganda de TV da legenda veiculada na quinta-feira, 17, que faz uma autocrítica do partido. Questionado sobre críticas de membros do partido sobre a propaganda, ele afirmou que "não se arrepende de nada". "Eu não me arrependo de nada, tenho responsabilidade total pelo projeto", declarou.

A declaração foi dada no La Maison Buffet, em Fortaleza, durante o Fórum Empresarial Gestão. O evento também contou com a participação do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB). 

A peça publicitária afirma que o PSDB errou ao praticar o "presidencialismo de cooptação", que segundo o programa é a prática do oferecimento de cargos pelo governo federal em troca de votos no Congresso. Ministros tucanos atacaram o conteúdo do material.

A Câmara dos Deputados estuda mover um processo contra o Tasso, conforme publicado nesta sexta-feira pela Coluna do Estadão, para que ele venha ao plenário e explique quem são as pessoas as quais a propaganda se refere. Sobre isso, o tucano afirmou: "A essa altura a polêmica é necessária. É bom porque desperta de todos posições diferente e eu acho que a população tem isso". O procurador da Câmara, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), estuda entrar com pedido de retratação na segunda-feira, 21.

Durante o evento, o senador tucano afirmou que não pretende se candidatar à presidência do partido na convenção marcada para o final do ano. "Fui presidente interino do partido desta vez por uma circunstância e pretendo entregar o cargo na convenção a outro presidente", disse. De acordo com a colunista do Estado Vera Magalhães, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve reassumir o comando da sigla.

Veja o vídeo do PSDB abaixo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.