Sobe para 20 mil total de manifestantes em Brasília

A Polícia Militar (PM) elevou para 20 mil pessoas a estimativa do número de participantes da segunda edição da Marcha contra a Corrupção, em Brasília, na manhã de hoje. O primeiro levantamento dava conta de 13 mil manifestantes que percorreram a Esplanada dos Ministérios, do Museu da República até a Praça dos Três Poderes e depois seguiram mais alguns metros até o Ministério do Exército, onde ocorreu a dispersão.

CÉLIA FROUFE, Agência Estado

12 de outubro de 2011 | 14h27

Mesmo assim, o volume de participantes foi inferior à contagem feita pela PM na primeira edição do evento, em 7 de Setembro. Na ocasião, foram contabilizadas as participações de 25 mil pessoas. De acordo com o tenente Marcos Braga, o outro evento acabou ganhando adesão de última hora da população de Brasília, que saiu de suas casas para assistir ao desfile militar.

Os três pontos principais do protesto, que também foi realizado em outras 18 cidades, são a regulamentação da Ficha Limpa pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a aprovação do projeto de lei que estabelece o voto aberto dos parlamentares no Congresso, e a preservação dos poderes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de órgão de controle externo do Judiciário. Não houve incidentes durante a manifestação e apenas casos isolados de contravenção, como a entrada de três adolescentes no espelho d''água do Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

Uma das organizadoras do evento, a autônoma Lucianna Kalil,explicou que, desta vez, além das redes sociais, houve distribuição de panfletos para que as pessoas tomassem conhecimento do movimento. Durante a manifestação, foram colhidas assinaturas dos participantes para um abaixo-assinado a favor da aprovação do projeto Ficha Limpa. Lucianna disse que ainda não há previsão de que um novo ato ocorra no próximo feriado, em 2 de novembro.

Formada basicamente por jovens estudantes, a manifestação ganhou a simpatia de populares que passavam de carro cumprimentando a iniciativa. O casal de namorados de 17 anos, Ivan Gustavo e Tainá Queiroz, ambos estudantes, compareceram ao evento neste feriado. "A corrupção existe no mundo todo. O que queremos é o fim da impunidade", disse ele. A empresária aposentada Márcia Borges, também resolveu sair de casa para mostrar sua indignação hoje. "Sempre paguei muitos impostos e acho que precisamos lutar pelo nosso País", defendeu.

Tudo o que sabemos sobre:
feriadomarchacorrupçãoBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.