Sobe para 14 número de presos por fraudes contra Incra em MT

Ao todos, serão cumpridos 16 mandados de prisão; servidores são acusados de fraudar desapropriação no Estado

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

19 de dezembro de 2008 | 10h16

A Polícia Federal desencadeou nesta sexta-feira, 19, uma operação policial com o objetivo prender funcionários do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que fraudavam processos de desapropriação agrária no Mato Grosso. Já foram presas catorze pessoas.   Os funcionários públicos e os outros envolvidos são acusados de obtenção de vantagem indevida, estelionato e formação de quadrilha, uma vez que os imóveis objeto de desapropriações intentadas pelo Incra estão localizadas sobre terra devolutas do Estado de Mato Grosso ou da União, tendo ocorrido deslocamento de títulos fundiários nos processos expropriatórios.   Estão sendo cumpridos 16 mandados de prisão preventiva, sendo nove deles em Cuiabá, e 24 mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª. Vara Federal de Cuiabá, no Mato Grosso. Os referidos mandados foram objeto de representação pelo Ministério Público Federal e procedimentos judiciais em curso na Justiça Federal de Mato Grosso.   As prisões aconteceram em Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Sinop, Itaúba, no Mato Grosso, Novo Horizonte, em são Paulo, Tupassi, no Paraná, e Amambai, no Mato Grosso do Sul.   Texto atualizado às 14h45

Mais conteúdo sobre:
Incrafraudesoperação da PF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.